Reduza o peso Com O Poder Do Cérebro

24 May 2018 08:44
Tags

Back to list of posts

Um dia fraco no serviço, uma luta com o namorado, o trânsito infernal, a falta de dinheiro e até os números da balança que insistem em acrescentar. Diante desses e inúmeros outras dificuldades do cotidiano, instintivamente teu cérebro poderá direcionar você a combater o estresse com uma questão que a fará se constatar melhor: comida!Muitas pessoas reagem aos vários desafios da vida sentindo tristeza, agitação, pavor, tristeza e desorganização. É o que chamo de 'comedores emocionais’, eles fazem uso o prazer e a distração de consumir para aliviar-se e acalmar-se. A comida é utilizada como uma droga pra combater a preocupação. Um outro ambiente envolvente que eu gosto e cita-se a respeito do mesmo conteúdo por este web site é o web site recursos. Pode ser que você goste de ler mais sobre nele. O sistema límbico é a área do cérebro onde residem algumas das estruturas que regulam ansiedade, temor, lineshake raiva e a aflição.Dois- Diminui os níveis de insulinaControlar o pesoseis ovos de codorna cozidos1 - FLEXÃO PLANTARAtravessar aspirador de pó1 col. (sopa) de pistache sem a cascaDesatenção na filacinquenta Artigo RacismoCapture-vi.jpg Esta área pré-frontal é lineshake funciona ‘defeituosa’ em muitas pessoas que abusam do excedente de comida", explica. Em entrevista exclusiva ao Delas, Georgia Andrianopoulos explica seus conceitos sobre redução de calorias. G: Qual é o defeito das dietas? Georgia Andrianopoulos: Elas não são nada mais do que um "freio" (como em um automóvel) que usamos para desacelerar. Imensos estudos têm mostrado que as dietas não são eficientes na gestão de peso em alongado período. Mais de 90 por cento das pessoas que perdem peso com dieta recuperam tudo o que perderam em menos de cinco anos.G: Se as dietas atacam somente os sintomas do excesso de peso, quais seriam as causas? Georgia Andrianopoulos: A raiz da gula e da obesidade reside numa palavra chamada desequilíbrio. É o mau funcionamento dos mecanismos que normalmente nos mantêm em um peso normal. Estudos têm identificado muitos destes mecanismos regulatórios que dão falso.Um modelo simples: comer necessita provocar a liberação de insulina, que por sua vez, necessita "desligar" o botão "comer" do teu cérebro. Todavia, em alguns indivíduos os mecanismos responsáveis pela detecção de insulina perdem sua sensibilidade e não acionam o botão "desligar" pra pessoa parar de ingerir. Cada demanda excessiva ou traumática pode desregular uma área do cérebro fazendo com que ele passe a funcionar de maneira hiper ou hipo ativa, provocando excessos.Essa procura poderá ser representada por um comprido histórico de medo, tensão ou irritação com o marido ou esposa, colegas de trabalho ou com os altos e baixos da vida. É dessa maneira que funciona: o cérebro desencadeia um jeito que produz prazer pra contrabalançar o perigo. Por que nós escolhemos ingerir em detrimento de novas atividades prazerosas como sexo e afeto pra contrabalançar a amargura?Visto que comer é um feito acessível a cada momento, é rapidamente, barato e pode ser feito sozinho. G: Que outros motivos conseguem transportar uma pessoa a consumir sem necessariamente ter fome? Georgia Andrianopoulos: Há muitos, mas queremos indicar alguns como visualizar anúncios de comida, estar em lugares como enormes quantidades de comida, espiar os outros comendo, ter algumas opções de alimentos à disposição (self-services, como por exemplo) e viver emoções negativas.O mais importante é ter consciência de que as pessoas se tornam viciadas no prazer que a comida traz. Não há diferença alguma pela química cerebral de alguém que é viciada em cocaína, álcool ou comida. G: A reprogramação do cérebro auxílio a pessoa a amparar estilo de vida mais saudáveis e emagrecer? Georgia Andrianopoulos: Nos EUA, nós, profissionais da saúde, temos essa amargura com o confronto à obesidade já desde os anos 50. O defeito é que desde lá não conseguimos acudir as pessoas a escoltar hábitos de vida saudáveis. Isto pelo motivo de a charada está precisamente em concentrar-se na reeducação do cérebro e torná-lo mais apto, já que desse jeito fica mais fácil fazer com que as pessoas sigam alternativas saudáveis e percam peso. Ao invés de focar em dietas e alimentação, nosso intuito é o cérebro.Nós necessitamos doar o que ele tem que para tornar-se mais potente e apequenar o teu desejo de ingerir excessivo (na verdade, ele se equilibra de forma a combater todos os excessos em qualquer área da existência). G: Que novas descobertas a senhora tem feito sobre isto obesidade? Uma angústia que tem sido foco dos meus estudos são as evidências de que os alimentos que causam obesidade em mães bem como acabam desregulando os cérebros das criancinhas que estão por nascer. Essas crianças nascem já com uma propensão ao desejo por alimentos gordurosos e doces. Outros trabalhos sinalizam que há uma conexão entre excesso de peso e função cognitiva ou intelecto. Quanto mais obeso o cidadão, pequeno o desempenho cognitivo.

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License